O micromundo de Liliana Porter

Diretamente de Buenos Aires: Rola no Malba, de 13 de setembro a 18 de novembro, a exposição de Liliana Porter, intitulada El hombre con el hacha y otras situaciones breves.
Se trata de uma instalação com gravuras, desenhos, objetos, fotografia, e vídeo. “Os temas recorrentes partem de reflexões sobre a representação, do conceito do tempo e deste espaço ambíguo entre o que chamamos real e as imagens. Nos últimos anos, quase sem me dar conta, ingressaram a minhas obras um elenco variado de protagonistas que são objetos ‘inanimados’: pequenas figuras, adornos, coisas encontradas em mercados de pulgas. Eles atuam dentro de um espacio monocromático e vazio, em um tempo não linear, mas abrangente”, explica a artista.

liliana_porter-ax2 LILIANA-PORTER800x600

A exposição se compõe de um conjunto de paletas planas, de diversos tamanhos, em que os personagens estão realizando tarefas específicas: construir e destruir, bagunçar e recolher, ir e voltar, sujar e limpar, levantar e cair, derramar e tecer e etc. Em um extremo se encontra o homem pequeno (de menos de 3cm), realizando uma ação simples com muito efeito. É como se nossas atitudes fossem responsáveis por grandes feitos.

Weaver_with_blue_hat 10 Dialogue-with-sitting-man-2011 Nail_2008 Red_Shoes_10 Painter_08

“Para que o homem do machado (hacha, do título da exposição) destrua, Porter, na direção inversa do tempo, compõe peça a peça os pedaços, reconstruindo. O seu tempo, mais flexível e mais incerto, na qual é possível destruir e também compor, optando por uma alternativa que não induz a perder as outras, iluminando ao mesmo tempo o homem destruidor com o machado, e o jardineiro que rega suas plantas em meio ao desastre”, diz Graciela Speranza, no catálogo da exposição.

Compartilhe a cultura
Comente!