Romy Pocztaruk divide seu olhar na Fluxo

Está rolando até 14 de dezembro na Fluxo Escola de Fotografia Expandida, o Laboratório Experimental de Foto Contemporânea , ministrado pela fotógrafa e mestre em Poéticas Visuais pela UFRGS, Romy Pocztaruk. A menina conta histórias e revive lugares perdidos através de suas lentes. A experiência vem entre outras aventuras, de uma residência no espaço Takt Kunstprojektraum em Berlim e outra no Bronx Museum em Nova Iorque.

Na oficina, uma visita luxuosa aos registros de nossos tempos e a observação das estratégias de artistas que dialogam com a transformação do papel fotográfico ao longo da história principalmente a partir da década de 1970.

Um portrait da artista

Um portrait da artista

MC: Muitas das tuas séries de imagem fazem um trabalho de resgate de outros tempos, nos remetem a outros lugares. Como é o processo de contar histórias e reviver pontos perdidos com a imagem?

Antes das imagens meu processo de trabalho começa com uma pesquisa sobre lugares esquecidos, ruínas urbanas, utopias fracassadas… Então acaba que as imagens ficam bem próximas de um processo anterior que é a busca por esses esquecimentos. Eu não chamaria de histórias, mas sim relatos que misturam fatos e ficções para se aproximar de uma realidade.

A série A última aventura foi clicada na Rodovia Transamazônica.

A série A última aventura foi clicada na Rodovia Transamazônica.

MC: Quais as tuas principais referências, seja na imagem, no som, no vídeo, na vida…

São tantas que fica difícil responder, mas boa parte das minhas referência vem do
cinema ou de uma idéia cinematográfica que é levada pra imagem mas ultimamente tenho pesquisado bastante a nova objetividade alemã e a street photography americana.

MC: Em tuas andanças, qual o lugar mais interessante que você fotografou?

Todos foram interessantes de diferentes maneiras, recentemente fiz uma viagem pelo sul da Inglaterra e me deparei com lugares que pensei não serem interessantes, mas eram. Esse elemento surpresa que me atrai quando procuro por novos lugares para fotografar.

MC: Fale sobre o curso que está rolando na Fluxo?

A ideia do curso é ser um laboratório mesmo, buscar levantar hipóteses e fazer alguns testes de processo, como numa experiência. Além da parte de produção e desenvolvimento de trabalhos apresento alguns artistas e fotógrafos, sempre enfocando questões de processos que envolvem produção de trabalhos.

Da série Crossing Islands, 2011

Da série Crossing Islands, 2011

Da série Tropical.

Da série Tropical.

 

Compartilhe a cultura
Comente!